Veja como foi o processo de criação da camisa amarela da seleção brasileira

Aldyr Schlee, criador do manto, morreu nesta quinta-feira

Relacionadas

Morreu, nesta quinta-feira à noite, aos 83 anos, em Pelotas, no Rio Grande do Sul, Aldyr Schlee, o criador da camisa da seleção brasileira. Há dez anos, o escritor sofria de câncer de pele e há uma semana estava internado no Hospital Beneficência Portuguesa, na cidade gaúcha.

Schlee venceu um concurso do jornal carioca Correio da Manhã para definir as cores do uniforme da seleção em 1953. Três anos antes, o Brasil perdera a final da Copa do Mundo em casa para o Uruguai e a camisa branca foi aposentada.

No concurso existia apenas uma regra para os participantes: o uniforme deveria contar com as quatro cores da bandeira do Brasil. Entre 201 concorrentes, foi Schlee que garantiu a vitória apresentando uma camisa amarela com colarinho e punhos na cor verde, além dos calções azuis com uma faixa vertical branca e meias brancas com detalhes em verde e amarelo.

Como prêmio, Schlee, que fez mais de uma centena de esboços, ganhou um estágio no jornal e o equivalente a R$ 20 mil. Confira a imagem de um dos esboços do criador da camisa:

 

Depois dos esboços, Schlee fez artes mais elaboradas e chegou a usar jogadores reais em seus desenhos. Na imagem abaixo aparecem: Luizinho (Corinthians), Pinheiro (Fluminense), Ademir (Vasco) e Baltazar (Corinthians).

 

Ainda não convencido sobre qual uniforme seria o melhor, ele decidiu desenhar outros três modelos. Com o passar dos dias, não teve dúvidas de que deveria escolher o primeiro à esquerda. Veja os modelos e a arte final feita com tinta guache:

 

A estreia do manto foi em 1954. Passados 64 anos, a camisa da seleção é a mais conhecida do esporte em todo o mundo.

 

 

MAIS SOBRE:

FutebolAldyr Schleeseleção brasileira masculina de futebol
Comentários