Zagueiro confessa que furou com agulha rival em jogo da Copa Argentina

Federico Allende, do Pacífico, contou estratégia suja usada na classificação histórica sobre o Estudiantes de la Plata

Relacionadas

O modesto Sport Club Pacífico, da cidade de General Alvear, Mendoza, da quarta divisão, conseguiu a proeza de vencer por 3 a 2 e eliminar o gigante Estudiantes de la Plata da primeira rodada da Copa Argentina, no último sábado. Depois do feito, o zagueiro do Pacífico Federico Allende fez uma confissão curiosa e, ao mesmo tempo, reprovável. 

Em entrevista ao programa "Pesimistas del gol", da rádio Vorterix, de Córdoba, o defensor afirmou que furou por diversas vezes os atacantes rivais durante a partida com duas agulhas, que havia escondido nas caneleiras antes do jogo. 

"Tive que recorrer ao Gran Bilardo", disse Allende, se referindo ao técnico Carlos Bilardo, que ficou conhecido pela suposta água "batizada" dada pela seleção argentina aos jogadores brasileiros, nas oitavas de final da Copa do Mundo de 1990, diaputada na Itália. 

Perguntado, então, se havia recorrido a uma garrafa, Allende disse que não, "a uma agulha". "Te juro. Pobre negro, o (Juan) Otero, eu o matei. O queriam que fizéssemos? Foi assim, sabíamos que teríamos que sujar a partida porque o jogador da Primeira não gosta que façam cera, que joguem sujo. O negro deve ter me odiado, mas o futebol é assim", continuou o zagueiro, como citado pelo jornal argentino Olé

Allende, então, detalhou sua tática: "Rinha duas (agulhas), uma enfiada em uma caneleira até o fim e outra na mão. (...) No segundo tempo, recorri a uma maior porque o negro, não sei o que tem, é um jacaré". 

Otero confirmou que recebeu quatro picadas. "Eu trocava de lado porque me espetava a cada corrida. Avisei o árbitro, mas ele não me deu bola. Falei com ele e apenas deu risada. Pensaram que era mentira. Fui espetado nas costas", disse o colombiano.

MAIS SOBRE:

futebolcopa argentinaestudiantes
Comentários