Borrachinha faz previsão contra Yoel Romero: ‘Vou nocauteá-lo no 1º round’

Brasileiro retorna ao octógono neste sábado, após um ano de inatividade, pelo UFC 241, para enfrentar antigo desafeto

 P. Borrachinha mantém a invencibilidade após 12 lutas na carreira. Foto: Reprodução/Facebook UFC

Relacionadas

Demorou, mas chegou. Após agendamentos e cancelamentos, o duelo entre Yoel Romero e o brasileiro Paulo Borrachinha está a poucos dias de acontecer. Os lutadores se enfrentarão na terceira luta do card principal do UFC 241, neste sábado (17) em combate válido por uma possível chance de uma futura disputa de cinturão entre os médios (até 83,9kg.). Paulo já fez sua aposta sobre o resultado: nocaute no primeiro round. Em entrevista recente ao ‘BJ.Penn.com’ o mineiro falou sobre sua expectativa para o confronto.

“Yoel Romero é um campeão no Wrestling, mas isso é MMA. Nós não vamos lutar Wrestling. Acreditem em mim. Eu vou nocauteá-lo e, se ele não ficar esperto, vou levá-lo para o chão e finalizá-lo. Vou lutar como sempre luto. No primeiro segundo da luta, eu vou tentar nocauteá-lo ou até finalizá-lo. Vou persegui-lo e caçá-lo no octógono. Vou nocautear e vai ser no primeiro round”, disparou o brasileiro.

Neste final de semana, Paulo retornará ao octógono após mais de um ano afastado das lutas em decorrência de lesões sequentes. A última vez em que o atleta disputou uma luta profissional foi em julho do ano passado, quando bateu Urijah Hall por nocaute técnico no segundo round. Questionado sobre a possibilidade de sentir a falta de ritmo durante o confronto, o Borrachinha tratou de tranquilizar os fãs e afirmar que está bem preparado para suportar a intensidade do embate.

“Tem um ano que não luto, mas isso não influenciará na minha performance. Eu treino da mesma maneira que eu luto. Quando estou em uma sessão de treinamentos, é a mesma coisa de uma luta. Nos últimos dois meses, eu tive basicamente 12 lutas, pois tive 12 sessões de sparring. Meus sparrings são mais duros do que uma luta. Minha performance está ótima”, contou o mineiro.

Atualmente na sétima colocação no ranking da divisão, Paulo acredita que uma boa vitória sobre o cubano pode colocá-lo em uma ótima condição sobre um possível desafiante ao título da categoria. Hoje, os campeões são Robert Whittaker (linear) e Israel Adesanya, que se enfrentarão em 5 de outubro pela unificação do cinturão. Caso vença Romero, que atualmente é o segundo colocado, o brasileiro tem boas chances de ser escalado como próximo desafiante no futuro.

“Se eu vencer essa luta, eu vou lutar pelo cinturão na próxima. Quando eu o derrotar (Romero), especialmente do jeito que vou derrotá-lo, a única opção vai ser me colocarem para disputar o título. Vou vencer tão bem, que vou lutar pelo cinturão depois”, finalizou o atleta.

Aos 28 anos, Paulo nunca foi derrotado em um combate profissional. O mineiro, hoje, soma 12 lutas em seu cartel, com 12 triunfos; 11 por nocaute. A única vez em que o brasileiro não nocauteou seu oponente aconteceu em 2016, quando o atleta finalizou o compatriota, Eduardo Ramon, ainda pelo Jungle Fight.

Mais experiente, Romero, aos 42, realizará sua 17ª apresentação no MMA. O cubano, ex-desafiante ao título da divisão, venceu 13 das 16 pelejas disputadas em sua carreira.

MAIS SOBRE:

Yoel RomeroPaulo BorrachinhaUFC [Ultimate Fighting Championship]MMA [artes marciais mistas]
Comentários