Campeões da MLB irão visitar Trump, mas um jogador se recusa a ir

Sean Doolittle critica retórica do presidente e atitudes com pessoas que têm deficiências físicas e mentais

Relacionadas

Como é tradicional nos Estados Unidos, a Casa Branca convidou os campeões de uma das principais ligas nacionais esportivas - no caso, a de beisebol - a se encontrar com o presidente. No governo de Trump, alguns convites do tipo foram recusados, mas o Washington Nationals, que levou a MLB, aceitou, embora um jogador, Sean Doolittle, já tenha afirmado que não vai por discordar de atitudes do presidente.

O Nationals derrotou o Houston Astros na decisão do principal torneio de beisebol do mundo. Trump esteve presente no jogo cinco da série, disputado em Washington, quando foi vaiado pelos torcedores. Ainda assim, elogiou a equipe no Twitter após o título ser conquistado.

O convite tradicional foi feito então, e o Nationals aceitou visitar a Casa Branca. Nos anos anteriores, houve algumas recusas de ir, como a do Golden State Warriors após o título da NBA em 2018. O New England Patriots também não foi após vencerem o Super Bowl 2019 - a justificativa oficial foi de problemas na agenda.

No entanto, o arremessador Sean Doolittle se recusou a ir ao evento realizado com Donald Trump, por considerar que a retórica do presidente valida a ação de supremacistas brancos e por Trump ter feito piada de um repórter do jornal New York Times que é deficiente físico, relacionando com a situação de seu meio-irmão, que é autista.

"Como eu iria explicar a ele que saí com alguém que fez piada da maneira como ele fala, ou do jeito que move as mãos? Eu não consigo ignorar essas coisas", afirmou, em entrevista ao jornal Washington Post. Doolittle e a esposa estão envolvidos em diversas causas sociais, como o apoio a refugiados da Síria, veteranos das Forças Armadas e em favor aos direitos dos gays.

MAIS SOBRE:

beisebolDonald TrumpSean DoolittleWashington Nationals
Comentários