Entenda! Americanos estão cortando o símbolo da Nike e postando nas redes

Parte dos internautas se posiciona contra anúncio com jogador que protestou na NFL

Relacionadas

A Nike tem feito campanhas publicitárias que vão além do esporte. Nos últimos dias, por exemplo, a marca apoiou em suas redes Serena Williams após o veto ao seu uniforme. Agora, a campanha de solidariedade é para outro esportista: Colin Kaepernick.

O ex-jogador dos San Francisco 49ers não foi contratado por nenhuma outra equipe desde a temporada 2016-17, quando protagonizou uma campanha em que ajoelhava durante o hino dos Estados Unidos em protesto contra a violência policial sobre cidadãos negros.

O anúncio traz uma foto de Kaepernick com a frase "Acredite em algo, mesmo que signifique sacrificar tudo", seguida da hashtag "Just Do It", slogan da marca norte-americana que pode ser traduzido como "apenas faça".

Fato é que a campanha publicitária causou muitas reações nas redes sociais, com críticos queimando, destruindo e retirando os logos dos produtos da empresa. 

O cantor de música country John Rich foi uma das pessoas que divulgaram imagem de um produto cortado. "Nosso técnico de som acabou de cortar a marca Nike de suas meias. Ex-fuzileiro. Prepare-se Nike, multiplique isso por milhões", escreveu em sua conta no Twitter.

Outro usuário da mesma rede social publicou um vídeo colocando fogo em um par de tênis. Na legenda, Sean Clancy conta que a marca o forçou a escolher entre seus calçados favoritos e seu país. "Desde quando a bandeira americana e o hino nacional se tornaram ofensivos?", questiona

Do outro lado, internautas afirmam que compraram itens justamente em apoio à iniciativa da marca. "Imediatamente comprei tênis novos", comentou uma internauta. "Pareceu um bom dia para comprar novos tênis", escreveu outra. 

 

MAIS SOBRE:

GeralEstados Unidos [América do Norte]NikeSerena WilliamsColin KaepernickprotestopublicidadetênisNFL [Liga de Futebol Americano]racismo
Comentários