Ex-jogador de beisebol é pego com 20 quilos de cocaína e assume culpa

Esteban Loaiza assumiu nesta sexta-feira o envolvimento com tráfico de drogas

O ex-jogador de beisebol Esteban Loaiza, se disse culpado nesta sexta-feira das acusações de envolvimento com tráfico de drogas durante audiência realizada em um tribunal na Califórnia, nos Estados Unidos.

O pitcher que passou por Chicago White Sox e New York Yankees, entre outros, foi advertido que poderá ser deportado, uma vez cumprida a sentença.

Loaiza, de 46 anos e com status de residente legal permanente dos EUA, continuará em liberdade por pagamento de fiança até a audiência de sentença, que está marcada para o dia 2 de novembro deste ano em San Diego.

O ex-jogador foi detido em 9 de fevereiro na cidade californiana de Imperial Beach em posse de mais de 20 quilos de cocaína avaliada no US$ 500 mil. Loaiza, que compareceu à audiência com a juíza Janis Sammartino na companhia dos pais, irmã e um filho, se disse responsável pela posse com a intenção de distribuir a droga.

A cocaína foi entregue a Loaiza em uma minivan para que ele a transferisse a outro veículo que estava estacionado em um domicílio que havia alugado recentemente, segundo revelado na audiência.

A juíza perguntou se o ex-jogador compreendia a gravidade do crime e o que implicaria se declarar culpado. Loaiza respondeu que teve tempo para analisar o caso junto à advogada.

Oficiais do departamento do xerife seguiram o motorista da caminhonete ao suspeitarem que estava envolvido em contrabando de narcóticos. Com isso, foi obtida uma ordem de revista para a residência que era alugada por Loaiza, que não tinha móveis nem pertences pessoais.

Em uma minivan estacionada na garagem foram encontradas bolsas marcadas com o sobrenome Loaiza e debaixo delas as autoridades acharam 20 pacotes de cocaína.

Loaiza, viúvo da cantora Jenni Rivera, será expulso do país ao término da condenação, informou Jarad Hodes, procurador encarregado do caso. Segundo a imprensa local, o ex-jogador "aceitou que é praticamente um fato que será deportado".

Tanto Loaiza como a família saíram do tribunal sem falar com jornalistas, enquanto a advogada Janice Deaton se limitou a confirmar que o cliente continuará sob liberdade condicional até que a sentença seja decretado.

O ex-jogador não poderá sair do país e deverá cumprir com as condições estabelecidas quando pagou uma fiança de quase US$ 200 mil em maio, para a qual deu como garantia uma residência que era propriedade da ex-esposa e do filho.

Embora esse crime contemple uma pena mínima de dez anos na prisão, o procurador antecipou que a juíza levará em conta outros fatores como o fato de que Loaiza não estava em posse de armas de fogo nem houve atos violentos, por isso a sentença pode ser menor./EFE

 

MAIS SOBRE:

BeisebolbeisebolEsteban Loaizatráfico de drogas
Comentários