Ex-médico de seleção olímpica dos EUA recebe 22 queixas de abuso sexual

Número de denúncias aumentou após nove ex-atletas denunciarem Larry Nassar, já preso preventivamente por outro caso semelhante

Relacionadas

Aumentou para 22 o número de queixas de abuso sexual registradas contra um ex-médico da seleção feminina de ginástica olímpica dos Estados Unidos. O número de acusações cresceu após Larry Nassar, de 53 anos, ter sido publicamente denunciado por nove ex-atletas, todas menores de 17 anos na época dos abusos. 

Atualmente, o médico está preso preventivamente por outro caso, envolvendo o abuso da filha de um casal de amigos e de manter pornografia infantil. As primeiras queixas de atletas se referem ao período em que ele trabalhava na Universidade de Michigan, na qual era referência no tratamento de problemas no quadril. Em entrevista ao canal CBS, a ex-ginasta Jamie Dantzscher, medalhista de bronze na Olimpíada de 2000, disse ter sofrido abusos entre os 13 e os 18 anos. 

De acordo com a CBS, apenas no último ano, foram identificados mais de 60 casos semelhantes envolvendo equipes técnicas de ginástica olímpica no país. "Ele usou seu status e autoridade para praticar horríveis práticas de abuso sexual sob o disfarce de que eram procedimentos médicos", explicou o procurar-geral do Estado Bill Schuette.

Segundo uma das vítimas, o número de abusos foram tantos "que ela nem consegue contar". À justiça, Nassar se declarou inocente de todas as acusações. As informações são da agência Associated Press

MAIS SOBRE:

Ginástica olímpicaEstados UnidosUniversidade de MichiganCBS
Comentários