Índios acusam Japão de comprar madeira ilegal para os Jogos de Tóquio

Indígenas que vivem nas florestas da Malásia acusam extração ilegal de madeira para obras de estádio olímpico

Relacionadas

Índios malaios da etnia Penan, que vivem nas florestas tropicais da Malásia, vieram a público pedir que o Japão pare de comprar madeira ilegal extraída de suas terras para ser usada nas obras do Estádio Olímpico de Tóquio, que vai sediar os Jogos de 2020. As informações foram publicadas pelo jornal The Japan Times.

O líder dos Penan, Bilong Oyoi, entregou à embaixada japonesa em Berna, na Suíça, uma petição com 140 mil assinaturas. O documento pede a imediata suspensão do uso da madeira, ligada a empresas relacionadas a desmatamento ilegal e violações de direitos humanos.

"Estamos perdendo nossa vida porque a água está poluída pela extração de madeira. A situação está cada vez pior. Por causa dessa atividade de extração, agora é muito difícil caçar, pescar e sobreviver", afirma.

Por outro lado, o Comitê Olímpico Internacional (COI) disse em resposta que tem certeza de que a madeira usada para o estádio olímpico é obtida de forma legal e sem que o meio ambiente seja prejudicado, pois um dos focos de Tóquio-2020 é que os jogos aconteçam de forma sustentável.

"Temos total confiança de que Tóquio-2020 está cumprindo seus objetivos de sustentabilidade", disse a entidade, em comunicado. 

MAIS SOBRE:

olimpíada Olimpíada Comitê Olímpico Internacional
Comentários