Lochte diz que 'virou a página' e culpa mídia sobre episódio no Rio

Nadador envolvido em confusão em posto de gasolina, durante os jogos, diz que está 'seguindo em frente'

Relacionadas

Treinando de olho nos jogos de Tóquio, em 2020, o nadador norte-americano Ryan Lochte ainda está suspenso das competições oficiais cerca de 10 meses depois da Olimpíada do Rio.

Enquanto prepara sua volta às piscinas, e se dizendo decepcionado com o episódio no qual se envolveu no Brasil - a confusão no posto de gasolina, que repercutiu na imprensa internacional e o fez perder patrocinadores - Lochte culpou "a mídia" pela dimensão do episódio, em uma entrevista ao The Times. As informações são do Globoesporte.com.

"Você ainda tem quem te odeie aqui e ali, mas todo mundo comete erros, todo mundo é humano. Cometi um erro e estou seguindo em frente. Acho que o resto do mundo está seguindo em frente também. Mentalmente, estou provavelmente melhor do que nunca", disse o dono de 12 medalhas olímpicas.

"A mídia definitivamente tomou essa história e a fez maior do que era. Eles não pegaram os fatos direito, mas queriam apontar o dedo, e apontaram para mim. Acho que as pessoas já haviam tirado conclusões", completou o nadador.

Ryan Lochte ainda encara um processo no Justiça do Rio de Janeiro por falsa comunicação de crime. Ao fim das provas de natação da Olimpíada, ele e um grupo de nadadores norte-americanos voltavam de uma festa e pararam em um posto de gasolina. Ele se explicou contando que teria havido um suposto roubo, mas a polícia mostrou que o grupo na verdade vandalizou o local.

Até o dia 30 de junho, Lochte está suspenso pela Federação Americana de Natação e pelo Comitê Olímpico Americano e vai perder a seletiva para o Mundial de Budapeste. O nadador deve fazer seu retorno no US Open, em agosto.

 

MAIS SOBRE:

nataçãoRyan Lochtenatação
Comentários