Mascote de pelúcia dos Jogos Olímpicos da Juventude é raridade para poucos

Pela primeira vez uma mascote ganhou um nome que vem junto de uma hashtag

Relacionadas

A mascote dos Jogos Olímpicos da Juventude pode ser encontrada por toda parte, nas arenas esportivas, no Parque Olímpicos e em outdoors. Mas ela não está à venda como animal de pelúcia nas lojas oficiais do evento. Em um primeiro momento, os vendedores falaram que chegaria em breve. Mas depois a versão mudou.

Segundo  Comitê Organizador da competição, as mascotes de pelúcia nunca foram cogitadas para serem vendidas. "Para nós, as medalhas e as mascotes se ganham no campo de jogo. Por isso que fizemos somente para os atletas", afirmou Buenos Aires 2018, garantindo que o plano sempre foi fazer poucos #Pandi.

Em todas as competições olímpicas, a mascote de pelúcia é o objeto mais vendido. Costuma custar caro, mas mesmo assim as pessoas querem levar de recordação. Nos Jogos da Juventude, os atletas ganham no pódio suas medalhas e uma mascote de pelúcia. Em muitas vêm o preço marcado: 1.500 pesos, equivalente a aproximadamente R$ 155.

A decisão de vender ou não a mascote é do Comitê Organizador local e não do Comitê Olímpico Internacional (COI). Os produtos são licenciados e a partir daí podem ser vendidos. Apesar de não ter a versão de pelúcia, #Pandi está em pins, adesivos, camisetas e vários outros produtos dos Jogos da Juventude.

Pela primeira vez uma mascote ganhou um nome que vem junto de uma hashtag: #Pandi, uma onça-pintada. A intenção foi chamar a atenção para o maior felino das Américas, animal que corre risco de extinção e costuma ser encontrado no norte da Argentina e em outros países. Curiosamente, a onça-pintada Ginga é a mascote do Time Brasil.

 

MAIS SOBRE:

GeralJogos Olímpicos da Juventude
Comentários