Na MLB, Yankees acusam Red Sox de roubarem sinais usando Apple Watch

Após reclamação formal da diretoria de Nova York à liga, Boston não negou as acusações

A rivalidade entre New York Yankees e Boston Red Sox, na MLB, ganhou mais um controverso capítulo nesta terça-feira, 5. A franquia de Nova York fez uma reclamação formal à liga acusando o rival de roubar sinais de seus arremessadores e usar um Apple Watch para passar a informação aos jogadores no campo. 

Relacionadas

De acordo com o jornal The New York Times, membros da comissão técnica de Boston no banco receberam as indicações do arremessos combinados pelos jogadores dos Yankees no aparelho e, em seguida, passaram informação a jogadores reservas. Estes, então, fizeram sinais aos colegas que estavam em jogo, facilitando as rebatidas.  

As indicações dos arremessos foram analisadas e repassadas por funcionários dos Red Sox que assistiam à partida pela televisão. 

 

 

Junto com a reclamação formal, os Yankees entregaram à MLB gravações que mostram os assistentes consultando o relógio, passando a informação aos jogadores no banco e estes sinalizando as indicações aos colegas. 

Os diretores de Nova York acreditam que Boston tenha feito o esquema em mais de uma partida entre ambos e até em confrontos com outros rivais. A primeira suspeita surgiu após diversos jogadores dos Red Sox conseguirem rebatidas em bolas consideradas muito difíceis. Isso foi visto inicialmente em partidas no Fenway Park, em Boston, mas a franquia do Bronx não tinha como provar à época. 

 

 

Após a acusação formal dos Yankees, a diretoria dos Red Sox confirmou que alguns funcionários com acesso às imagens de TV passaram informações à comissão técnica. O técnico John Farrell afirmou, nesta terça, que sabia que seus jogadores estavam tentando roubar sinais, mas não sabia que estavam usando o relógio.

Em coletiva no mesmo dia, o vice-presidente de beisebol de Boston, Dave Dombrowski, também disse que não sabia do uso do Apple Watch. No entanto, ele negou que o roubo de sinais seja ilegal. "Eu trabalho no esporte há 40 anos e conheço o roubo de sinais há 40 anos. Pessoas com quem falei que jogaram nos anos 1950 me contaram de roubo de sinais. Então isso está no esporte há muito tempo", afirmou. 

"Eu acho que roubo de sinais é errado? Não, não acho. Acho que depende de como você usa. Mas nunca pensei que fosse errado. Acho que todos, pelo menos uma vez na carreira, já estiveram envolvidos com isso", completou Dombrowski. 

 

 

A rigor da regra, o roubo de sinais não é ilegal no estatuto da MLB. No entanto, é tido como uma das milhares de regras não escritas do beisebol, o esporte mais tradicionalista dos Estados Unidos e com um código de conduta restrito. 

Rob Manfred, comissário da MLB, confirmou que não há punições previstas para o roubo de sinais. Porém, de acordo com o regulamento da liga, é proibido o uso de aparelhos eletrônicos nos bancos de reservas. Quanto a isso, os Red Sox estão sujeitos a multas e suspensões. 

 

 

Logo depois da acusação, o Boston Red Sox também enviou uma reclamação formal à MLB alegando que os próprios Yankees estariam usando imagens da emissora YES Network para descobrir sinais rivais. O canal, que detém os direitos de transmissão das partidas de Nova York, é controlada pelo mesmo conglomerado a que o próprio time pertence. 

A esta queixa, o técnico Joe Girardi e alguns jogadores dos Yankees negaram veementemente. De acordo com a ESPN americana, esta acusação feito por Boston seria apenas para "tumultuar ainda mais o caso". 

MAIS SOBRE:

beisebolNew York YankeesBoston Red Soxmlb
Comentários