Pode isso, Arnaldo? Defensor tenta interceptar passe jogando toalha na bola

Regulamento da liga universitária de futebol americano não prevê situação semelhante; e no futebol 'tradicional', seria falta?

Relacionadas

Quem nunca jogou uma pelada em que, do nada, alguém joga um tênis contra a bola ou um adversário pra tentar impedir um gol claro? Bom, isso mais ou menos aconteceu neste final de semana em uma partida do futebol americano universitário dos Estados Unidos. 

No último sábado, 9, os Bruins, da Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA), não tiveram problema nenhum em derrotar os Rainbow Warriors, da Universidade do Havaí, por 53 a 26. 

Mesmo vencendo a partida, o defensive tackle californiano Chigozie Nnoruka tentou cortar um passe do quarterback rival Dru Brown jogando uma toalha na direção da bola. Como era de se imaginar, o objeto sequer desviou o curso da bola, que foi direto nas mãos do wide receiver havaiano John Ursua. 

 

 

Caso a bola realmente causasse algum interferência na bola, provavelmente não seria marcada falta no lance. Isso porque não há nada no regulamento da liga universitária americana, a NCAA, que preveja uma situação como essa, como citado pelo SB Nation. 

A única regra que poderia cobrir o lance seria a Regra 9, artigo 3, que trata de "atos injustos não cobertos especificamente pelas regras" que aconteçam durante um jogo. A esse e outros itens sobre "falta de esportividade", os juízes podem "tomar quaisquer ações que considerem adequadas, o que inclui repetição de jogadas, penalidades de 15 jardas, marcar um ponto e suspender ou cancelar um jogo". 

 

NO FUTEBOL

Se no futebol americano o lance não é previsto, o mesmo não pode ser dito do futebol "tradicional". No livro de regras da International Board para a temporada 2017/18, há pelo menos duas citações de situações semelhantes. 

A primeira, referente a infrações (página 98 do documento abaixo), determina que, se um jogador atingir a bola com um objeto atirado, como chuteiras ou caneleiras, deverá ser aplicada a mesma regra de toque de mão, com a cobrança de falta direta. 

Além disso, o regulamento também afirma (página 105), que "se um jogador dentro ou fora do campo de jogo atirar um objeto (incluindo a bola) em um jogador adversário, um reserva, um substituído ou expulso, ou em um membro da comissão técnica ou da arbitragem, ou própria bola, a partida deverá ser reiniciada com um tiro livre direto da posição em que o objeto acertou ou teria atingido a pessoa ou a bola". 

MAIS SOBRE:

futebol americanoncaa
Comentários