Retomando titularidade nos Indians, Yan Gomes prevê melhora em 2017

Primeiro brasileiro na MLB espera retomar a forma que garantiu prêmio de melhor rebatedor de sua posição, em 2014

Relacionadas

Após 108 anos de seca, o Chicago Cubs finalmente se tornou campeão da World Series, a grande final da Major League Baseball, em 2016. Enquanto praticamente todos torciam para que esse jejum chegasse ao fim, o receptor brasileiro Yan Gomes estava do outro lado, defendendo as cores do Cleveland Indians, franquia que agora possui a maior seca da MLB, com 69 anos. 

E o time de Ohio ficou muito perto de estragar a festa dos Cubs, já que conseguiu abrir 3 jogos a 1 na série melhor de cinco. Porém, a equipe não manteve o rendimento e foi derrotada na prorrogação do Jogo 7. Em conferência telefônica com jornalistas brasileiros, na última semana, o catcher resumiu com bom humor o que faltou para o primeiro título dos Indians desde 1968: "Uma vitória". 

"Foi uma coisa engraçada do esporte, que aconteceu até no basquete, com Cleveland Cavaliers contra o Golden State Warriors. O outro time começou a ter um pensamento de vitória. Precisávamos ganhar um jogo, mas não conseguimos. Mas mesmo assim, continuamos muito felizes pela temporada que fizemos", completou Gomes. 

E apenas a presença do time na Série Mundial já é suficiente para motivar os jogadores na atual temporada, quando os Indians entram como francos favoritos na sua divisão, a Central da Liga Americana. "Não é nem preciso falar (sobre motivação). Ela já está aí. Todos sabemos que foi a melhor experiência estar em um Jogo 7 de World Series." 

Apesar de ter sido o titular do time praticamente desde que foi contratado, em 2013, Yan não foi a primeira escolha no mata-mata do ano passado. Do final da temporada regular até os playoffs, o técnico Terry Francona escalou Roberto Perez na posição. Isto aconteceu porque o brasileiro sofreu com seguidas lesões em 2016, algo até então inédito em sua carreira. "Foi um ano muito estranho. Me machuquei três ou quatro vezes. E quando chegou a World Series, sabia que não iria jogar porque o (Roberto) Perez passou um mês e meio como titular. E ele estava fazendo um ótimo trabalho, nossos arremessadores estavam se entendendo com ele. Eu não fiquei incomodado", explicou Yan Gomes. 

Preterido ao final do ano passado, o paulista recebeu uma ligação do treinador antes mesmo do início da pré-temporada, em março, garantindo que ele retomaria o lugar na escalação, o que foi confirmado com o início do campeonato de 2017, no início deste mês. 

Vencedor do prêmio de melhor rebatedor de sua posição em 2013, o brasileiro não conseguiu bons rendimentos nas últimas duas temporadas. Mas isso não o preocupa para a atual competição, uma vez que procura trabalhar e melhorar no dia-a-dia. "Tenho que tentar voltar ao meu estilo. Não tentar fazer demais, como eles falam aqui, bater três rebatidas de uma vez, ou seja, tentar dar um salto muito grande quando os números estão ruins. Tenho que trabalhar com os técnicos, levar do mesmo jeito que antes. E esse trabalho vai sempre me ajudar". 

O início deste ano segue abaixo, com apenas duas rebatidas em 30 oportunidades no bastão, distribuídas por nove partidas. Por outro lado, a pré-temporada de Yan foi a segunda melhor de sua carreira, com alto índice de aproveitamento no ataque. A melhora, segundo o próprio jogador, se deveu pela melhor preparação do seu condicionamento físico, ponto que o prejudicou em 2016. 

"Única coisa diferente que fiz na pré-temporada foi focar em estar preparado. Nada diferente no jeito de bater ou lançar. Muito porque estava machucado no ano passado, então procurei garantir que meu corpo estivesse preparado", conta o jogador. 

MAIS SOBRE:

beisebolYan GomesCleveland Indians
Comentários