Trump diz que gostaria de ver Kaerpernick de volta à NFL, 'se for bom o suficiente'

Atleta iniciou série de protestos no qual atletas se ajoelhavam durante o hino em 2017, o que foi criticado pelo presidente na ocasião

Relacionadas

Colin Kaepernick é um dos jogadores de futebol americano mais polêmicos da atualidade, por ter iniciado uma série de protestos contra a violência policial que atinge pessoas negras nos Estados Unidos. As ações, que envolviam se ajoelhar durante o hino nacional foram criticadas por Donald Trump quando aconteceram, em 2016 e 2017, que pediu a demissão dos atletas que as realizaram.

Kaepernick não atua profissionalmente há três anos e, recentemente, postou um vídeo no Twitter garantindo que está em forma e pronto para voltar. Perguntado sobre o atleta, Trump disse que gostaria de vê-lo de volta à NFL, com uma ressalva.

“Apenas se ele foi bom o bastante. Se ele for bom o suficiente, eles deveriam contratá-lo. Por que ele não jogaria se fosse bom o bastante? Eu acho que se ele fosse bom o bastante, eu conheço dos proprietários, eu conheço Bob Kraft (dono do New York Giants), eu conheço vários outros donos, se ele é bom o suficiente, eles assinariam com ele”, declarou Trump.

“Então, se ele é bom o bastante, eu conheço essas pessoas, eles iriam assinar com ele em um instante. Eles fariam qualquer coisa que pudessem para ganhar jogos. Sinceramente, eu adoraria ver Kaepernick entrar, se ele é bom o bastante. Mas eu não quero ver ele entrar porque alguém acha que é uma boa ação de marketing. Se ele é bom o bastante, ele vai entrar”, finalizou o presidente norte-americano.

Kaepernick tem 31 anos e atua como quarterback, a função mais importante do jogo. Seu ponto mais alto na carreira foi quando assumiu a posição no San Francisco 49ers em 2012, após lesão do titular, conduzindo o time aos playoffs e ao Super Bowl - no qual a equipe perdeu para o Baltimore Ravens por 34 a 31. Desde a temporada 2017 o atleta não consegue achar uma equipe para jogar, embora tenha protagonizado uma grande campanha da Nike.

MAIS SOBRE:

futebol americanoNFL [Liga de Futebol Americano]Colin KaepernickDonald Trump
Comentários