Velocista suíço é proibido de disputar campeonato por postagem racista

Pascal Mancini comparou jogadores franceses a macacos e posteriormente afirmou que a mídia quer destruir sua carreira

Relacionadas

Pascal Mancini, de 28 anos, foi banido da edição 2018 do Campeonato Europeu de Atletismo por postar em suas redes sociais um vídeo comparando jogadores da seleção francesa, que conquistou a Copa do Mundo na Rússia, com macacos. O atleta suíço é especialista nos 100m rasos não poderá disputar a corrida em Berlim.

A postagem trazia o vídeo de macacos com a legenda "franceses e seus primos". A Federação Suíça de Atletismo reagiu e excluiu o atleta do Campeonato. “A diretoria acredita que as transgressões do atleta não podem ser toleradas”, anunciou  em nota oficial a entidade, que se diz “publicamente comprometida com um esporte justo e respeitoso”.

Em novas postagens, Mancini confirmou a punição e reclamou da atitude. "Os meios de comunicação querem me destruir e me impedir de correr, para que não possa viver mais do esporte e, portanto, tenha que parar a minha carreira por causa das minhas opiniões", escreveu no facebook. Em seguida, o atleta pede contribuições voluntárias para os internautas, através de financiamento coletivo.

O gancho não é o primeiro da carreira de Mancini. Em janeiro de 2012, Mancini foi flagrado em um exame antidoping que apontou o uso de nandrolona, o que rendeu a ele um afastamento de competições de dois anos. O velocista não tem medalhas em Olimpíadas ou Campeonatos Mundiais.

Mancini também já fez o gesto 'quenelle', que é considerado antissemita.

MAIS SOBRE:

atletismoracismo
Comentários