Academia na China é investigada por forçar crianças órfãs a lutar MMA

Investigação teve início após documentário mostrar rotina de cerca de 400 crianças da Enbo MMA Club

Relacionadas

A academia Enbo MMA Club, localizada na província de Sichuan, na China, está sendo alvo de uma investigação por adotar garotos abandonados para promover e lucrar com lutas entre eles. De acordo com o site 'China.org', 19 garotos já foram retirados do local. 

A academia treina cerca de 400 meninos entre 10 e 14 anos e passou a ser investigada depois que um mini-documentário da produtora Pear Vídeo viralizou na China. No vídeo, é possível ver um pouco da rotina dos garotos e ainda a luta entre dois jovens de 12 anos em um local improvisado no meio da rua para uma audiência composta por adultos.

Nas entrevistas as histórias se repetem. Depois de perderem os pais, as crianças acabam indo para academia em busca de melhores condições de vida e o sonho de um dia virarem lutadores do UFC. A vida delas se resumem a treinar, comer e descansar, além de competir em pequenos torneios. 

Segundo o jornal 'South China Morning Post', o fundador da Enbo MMA Club, o ex-policial En Bo, diz que seu objetivo é tirar as crianças do crime. Mas a realidade parece ser bem diferente. Questionado se elas recebem para isso, um dos treinadores, Wang Zhou, respondeu: "Mais ou menos. Nós gerenciamos e damos quando elas precisam".

Além disso, com não possuem contratos, os garotos que não tiverem destaque nas lutas são algumas vezes devolvidos, ou seja, se tornam órfãos novamente.

MAIS SOBRE:

lutasMMA [artes marciais mistas]China [Ásia]
Comentários