Anderson Silva responde às críticas sobre dupla cidadania: 'pegou pesado'

Lutador comenta repercussão negativa e fala sobre as ofensas nas redes sociais

 A. Silva fala sobre dupla cidadania. Foto: Reprodução Facebook UFC

Além de brasileiro, o ex-campeão dos médios do UFC Anderson Silva agora também pode ser chamado de cidadão norte-americano. No início desta semana, houve o processo de finalização da naturalização do lutador em evento ocorrido em Los Angeles.

O ato, no entanto, gerou revolta por parte dos fãs de Silva nas redes sociais, uma vez que o lutador de 44 anos é considerado um ídolo tupiniquim. Anderson, em entrevista recente ao Yahoo, comentou sobre a polêmica.

"Muita gente pegou pesado. Muita gente tem dupla cidadania e não é agredido da forma que eu fui. Fui chamado de traidor, renegado e coisas do tipo. Fico abismado porque as pessoas não sabem absolutamente nada e querem impor suas opiniões como verdade absoluta", contou Silva.

"Muita gente acha que foi fácil, tem memória curta, não sabem o quanto eu ralei, insisti. É bem triste essa situação, mas até entendo, não tem jeito de mudar a cabeça de quem, até pela incompetência, só pensa em agredir", declarou.

O ex-campeão também afirmou que passou um tempo buscando compreender os motivos pelos quais seu grande número de admiradores decidiu se voltar contra ele ao invés de buscarem compreender a situação vivida pelo atleta.

"Sou uma pessoa que diz o que pensa, muita gente não gosta disso. Acho que incomoda o fato de eu ser uma pessoa que saiu do nada e, às custas de muito trabalho e ter vencido na vida. Estou com 44 anos, poderia ter desistido, mas, não. Não sou mais campeão, mas acho que ainda continuo com um alvo nas costas", disse o atleta.

O lutador explicou os motivos que o motivaram a tentar a dupla cidadania. Para Anderson, os documentos que comprovam sua nacionalidade norte-americana facilitam o processo de atuação em seus negócios existentes nos Estados Unidos.

"Estou aqui (nos Estados Unidos) há mais de 10 anos e, como qualquer outra pessoa que tem essa oportunidade, não vi problema algum em obter a dupla cidadania", declarou o paulista. "Estou com vários projetos, incluindo um estúdio para o qual consegui investidores, também estou pensando em um filme. Minha ideia, e isso é resultado da naturalização, é empregar brasileiros que estejam em situação legal aqui nos Estados Unidos", contou.

Anderson Silva também comentou sobre a possibilidade de se aposentar do MMA em breve. O atleta, atualmente, tem 44 anos e apenas mais duas lutas em seu contrato com o UFC. Embora recentemente o lutador tenha declarado publicamente que pretende continuar lutando, ‘Spider’ já começa a sinalizar que pode pendurar as luvas muito em breve.

"Tenho mais duas lutas no contrato, tenho marcada uma cirurgia no joelho, então acho que acabo de cumprir o contrato em 2020. Essa coisa de lutar é algo que já está ficando no passado para mim, está surgindo uma nova geração de atletas e promessas. Eu amo lutar, adoro lutar, aproveitei da melhor maneira possível", afirmou.

MAIS SOBRE:

MMA [artes marciais mistas]UFC [Ultimate Fighting Championship]Anderson SilvaEstados Unidos [América do Norte]
Comentários