Aos 30 anos, Felipe Sertanejo anuncia aposentadoria no MMA

Lutador brasileiro divulgou sua saída do MMA profissional por meio de suas redes sociais

Felipe 'Sertanejo' Arantes fez seu último embate no sábado (23) no UFC Singapura quando foi nocauteado pelo chinês, Yandong Song. O brasileiro já vinha de duas derrotas consecutivas e estava correndo risco de demissão. Com uma trajetória no MMA profissional que teve inicio em 2008, o lutador anunciou o fim da carreira nesta terça-feira (26) por meio de suas redes sociais.

+ Lyoto Machida deixa UFC e acerta contrato com o Bellator

+ Primeiro Cutman do UFC, Leon Tabbs morre aos 86 anos

+ Anderson Silva debocha de presidente do UFC: 'só quer fazer WWE'

Aos 30 anos, Sertanejo confessou que teve algumas lesões graves em sua carreira, como a paralisa facial e o grave acidente de moto. Além de ter lutado no UFC de sábado com uma lesão no ligamento colateral e no fêmur.

O peso-galo brasileiro afirmou que em seus 10 anos como profissional conseguiu juntar e investir o dinheiro que ganhou para poder ter estabilidade financeira.

O lutador brasileiro iniciou nas artes marciais com 12 anos, por meio do Judô e Taekwondo. Aos 14, começou no Muay Thai. Apenas aos 18 anos, Felipe entrou no MMA.

Em sua carreira no MMA, Felipe Sertanejo realizou 31 lutas, com 18 vitórias, dez derrotas, dois “No Contest” e um empate em seu cartel. Sua estreia no UFC foi em 2011 com derrota para Iuri Marajó, no UFC 134, Rio de Janeiro.

Confira a declaração de Felipe Sertanejo:

"Obrigado a TODOS que me acompanharam nessa jornada! Fiz muitos amigos e construí minha vida através das artes marciais. Ela me fez ser o homem que sou e me deu tudo que tenho. Até minha família construí através dela, afinal foi pelo UFC que conheci minha esposa e consequentemente tive meu maior tesouro. Em minha carreira tive 2 momentos de lesões graves, um foi a paralisia facial e outro, um acidente de moto com ligamentos e ossos quebrados. Ambos fui alertado em não poder mais voltar a lutar. DEUS me honrou e voltei!  Nessa luta tive uma lesão no colateral e no fêmur, faltando 1 semana pra vir pra Singapura, mais uma vez meus médicos me alertaram sobre a possibilidade de não conseguir lutar. Mas não quis desistir e fui lutar! Acredito que minha carreira foi consolidada e realizada por causa do meu treinador. Sempre me levantou, sempre me mostrou o caminho certo e sempre me deu confiança pra chegar onde cheguei. Garanto pra vcs, sem ele, eu NUNCA estaria aqui", declarou.  

 
 
 
 
 

Sem história triste e sem mimimi. Vim fazer o meu trabalho e fiz. O resultado não veio como o esperado, mas me sinto vencedor por estar aqui e por ter passado tudo que passei, coisas que o público de fora não vê, mas quem está do meu lado sabe! A Vitória vai muito além de levantar o braço, a Vitória é construída através do caminho que vc percorreu pra chegar lá. Vc vence, se transforma e se fortalece na caminhada, e não com o resultado. Obrigado a TODOS que me acompanharam nessa jornada! Fiz muitos amigos e construí minha vida através das artes marciais. Ela me fez ser o homem que sou e me deu tudo que tenho. Até minha família construí através dela, afinal foi pelo ufc que conheci minha esposa e consequentemente tive meu maior tesouro. Em minha carreira tive 2 momentos de lesões graves, um foi a paralisia facial e outro, um acidente de moto com ligamentos e ossos quebrados. Ambos fui alertado em não poder mais voltar a lutar. DEUS me honrou e voltei! Nessa luta tive uma lesão no colateral e no fêmur, faltando 1 semana pra vir pra Singapura, mais uma vez meus médicos me alertaram sobre a possibilidade de não conseguir lutar. Mas não quis desistir e fui lutar! Entende que a vida de Atleta não é fácil? Não estou aqui dando desculpas, estou aqui mostrando que nunca desisti, independente do que me disseram. Isso não é ser vencedor? Sim, me sinto um campeão! Acredito que minha carreira foi consolidada e realizada por causa do meu treinador. Sempre me levantou, sempre me mostrou o caminho certo e sempre me deu confiança pra chegar onde cheguei. Garanto pra vcs, sem ele, eu NUNCA estaria aqui. De verdade? Me considero 100% realizado e não faria nada de diferente. Hj minha vontade de lutar não é mais a mesma, portanto decidi parar. Sempre deixei claro que não dependo da luta financeiramente, pois através dela, construí coisas que me deixam ter uma vida boa. Sou grato por poder pendurar as luvas com 30 anos e saber que de uma forma ou de outra, o meu nome ficará na história do ufc. (Continuação comentários)  

Uma publicação compartilhada por Felipe "Sertanejo" UFC (@sertanejoufc) em

 

 

MAIS SOBRE:

Lutas MMA [artes marciais mistas]
Comentários