Aos 40 anos, Cormier explica dificuldades em deixar o MMA: ‘É como uma droga’

Campeão dos pesados afirma que vontade de realizar lutas ainda existe e esse é o motivo de enfrentar Miocic, em agosto

Relacionadas

Que Daniel Cormier é um dos maiores atletas de MMA da história, disso ninguém pode duvidar. Aos 40 anos, o atleta, atual número um dos peso por peso do Ultimate, ostenta, atualmente, o título dos pesados (até 120,2kg.) e ainda é capaz de realizar grandes performances aos entusiastas das artes marciais. No entanto, próximo de sua aposentadoria, o atleta confessa a dificuldade em decidir, de vez, aposentar as luvas. Em entrevista recente à ‘ESPN’, o atleta falou sobre os empecilhos encontrado para tomar a decisão de se retirar do esporte.

“Eu só quero lutar de novo. Eu sei que eu gostaria de realizar mais um combate. Eu queria fazer isso para, pelo menos, entrar no octógono novamente. É por isso que vocês veem pessoas atuando durante muito tempo. É como uma droga”, afirmou o campeão.

Cormier comentou que uma das coisas que mais o entusiasmam é realizar a entrada para a arena de combate. Para ele, o fato de descumprir sua promessa de não lutar após fazer 40 anos está relacionada a esta sensação e que ele espera fazer novamente contra Stipe Miocic na sua segunda defesa de seu título dos pesados, em 17 de agosto, pelo UFC 242.

“A droga mais viciante que você pode consumir é atravessar aquela cortina. Eu sabia que eu precisava fazer aquela entrada mais uma vez. Eu gostaria de me aposentar quando fizesse 40 anos. Mas, quando isso não aconteceu, eu sabia que aquela caminhada deveria ser feita mais uma vez. É por isso que vou enfrentar Stipe (Miocic)”, finalizou o lutador.

Ao longo de sua carreira, que inteira 10 anos em 2019, Daniel conquistou a fama de ser quase imbatível. Ex-campeão do ‘Xtreme MMA’ e do extinto Strikeforce, o atleta encontrou no UFC um adversário que conseguiu superar suas habilidades como atleta e contra quem declarou uma rivalidade que já entrou para a história do esporte: Jon Jones. Com o primeiro encontro em 2015, válido pelo cinturão dos meio-pesados, Cormier sucumbiu ao talento ímpar de Jones e amargou sua primeira derrota nas artes marciais mistas.

Os atletas voltaram a se enfrentar dois anos depois. Cormier, na ocasião, voltou a ser derrotado, mas o resultado da luta foi alterado (luta sem resultado) devido ao fato de Jones testar positivo para uma substância proibida em um exame antidoping. Com isso, no cartel oficial de Daniel, consta apenas um revés em sua trajetória no MMA.

Embora o UFC já tenha manifestado o interesse de realizar um novo embate entre os atletas na categoria dos pesados, que hoje é reinada por Cormier, o atleta não confirma se aceitará um novo duelo contra o eterno algoz. É fato que as cifras milionárias que podem ser oferecidas tendem a mudar o pensamento do norte-americano em relação à aposentadoria.

Com a dúvida se permanecerá em atividade ou não, Cormier dará a Stipe Miocic a aguardada revanche pelo título dos pesados após a frustrada tentativa de trazer de volta Brock Lesnar para atuar no UFC. Caso saia derrotado, Daniel pode ter uma revanche oferecida pela organização e realizar, ao menos, mais um combate em sua vitoriosa carreira.

MAIS SOBRE:

MMA [artes marciais mistas]UFC [Ultimate Fighting Championship]Daniel Cormierartes marciaisStipe Miocic
Comentários