Cyborg afirma que poderia aceitar proposta na WWE: 'Adoraria o desafio'

Recém contratada do Bellator, ex-campeã do UFC estuda participar de eventos de luta livre

 C. Cyborg em apresentação ao público do Bellator. Foto: Reprodução/Instagram @criscyborg

Relacionadas

Uma das atletas mais temidas do mundo, Cris Cyborg revelou que pode ser vista atuando no AEW (All Elite Wrestling) ou WWE (World Wrestling Entertainment) no futuro. A lutadora, que recentemente esteve em meio a polêmicas em sua não renovação de contrato com o UFC e acabou migrando com a empresa concorrente, o Bellator, afirmou que, com a proposta certa, poderia, também, atuar na Luta Livre profissional. A declaração foi feita em entrevista ao MMA Fighting.

"Eu amo a AEW e o WWE e os fãs de luta livre profissional sempre me param na rua perguntando se um dia vou ser vista em uma apresentação profissional. Se a oportunidade surgir e o acordo fizer sentido, eu adoraria o desafio de me apresentar na luta livre profissional", confirmou a brasileira.

Caso um dia seja vista se apresentando no novo esporte, Cyborg entrará para a lista de ex-campeão do UFC a se desafiar em uma modalidade diferente. Recentemente, Cain Velasquez, ex-dono do título dos pesados (até 120,2kg.), estreou em uma das maiores organizações de luta livre profissionais do México. O atleta foi muito elogiado por sua performance e conseguiu levantar o público presente no evento.

Outra atleta conhecida nas artes marciais mistas a abandonar o combate real e se aventurar no entretenimento foi Ronda Rousey, que também se deu bem na nova modalidade. Ronda e Cyborg, inclusive, têm uma antiga rivalidade dentro do MMA. Em diversas oportunidades, houve rumores que as duas atletas pudessem se enfrentar em um duelo que aconteceria no Ultimate. No entanto, o combate nunca aconteceu.

Mesmo com a especulação sobre o desafio futuro, Cyborg, que agora é um dos maiores nomes do Bellator, afirma que seu foco principal é no MMA. A atleta tem o compromisso de tentar tomar o cinturão da atual campeã das penas (até 65,7kg.), de sua nova empresa, que pertence à canadense Julia Budd, e elevar o nome da competição feminina da empresa.

"Meu foco, agora, é me tornar a única campeã do MMA a vencer quatro títulos mundiais em quatro diferentes grandes empresas na mesma divisão", finalizou a curitibana, que já tem no currículo títulos atuando pelo Invicta FC, Strikeforce e UFC.

Cyborg ainda não tem data para estrear pela nova organização, mas, segundo o presidente da empresa, Scott Coker, a previsão é que a brasileira atue com muito mais regularidade do que vinha se apresentando pela antiga companhia.

MAIS SOBRE:

MMA [artes marciais mistas]Bellatorluta livreCris Cyborg
Comentários