Cyborg exige desculpas públicas de Dana White: 'não sei se ele tem coração'

Brasileira confirma dificuldades nas negociações de novo acordo com UFC

 C. Cyborg fala sobre negociações com o Ultimate . Foto: Alexandre Loureiro/Inovafoto/UFC

Relacionadas

Mais um capítulo da novela entre a brasileira Cris Cyborg e Ultimate está sendo escrito. Com seu contrato encerrado após sua última luta no UFC 240, a curitibana está livre para firmar compromisso com qualquer outra empresa ou até formalizar outro negócio com a empresa atual.

Um empecilho para Cris é a decisão a ser tomada sobre aceitar uma nova luta contra Amanda Nunes e tentar apagar sua última derrota ou encerrar de vez o vínculo com o UFC e Dana White, com os quais a brasileira não tem boa relação. Em entrevista recente a Ariel Helwani, Cyborg exigiu que White se desculpasse publicamente por ofensas desferidas à curitibana.

"Claro que ele (Dana) tem que se desculpar. Ele tem família, filhos e acho que ele quer ser honesto. Ele tem que fazer isso. Eu não sei se ele tem um coração, mas o que ele tem feito não tem afetado só a mim. Ele tem afetado pessoas que estão à minha volta. Minha família. Não está certo. Quando você faz esse tipo de coisas, você afeta minha família", disse Cyborg.

Quando a atleta fala sobre atitudes do presidente do UFC, a lutadora se refere a ofensas direcionadas a ela pelo mandatário no passado. White, em determinado momento, fez piadas ofensivas em relação à aparência física da brasileira. White a comparou a Wanderlei Silva e o comentarista oficial da companhia, Joe Rogan, fez piada dizendo que a brasileira teria um órgão masculino.

Além do mais, Dana tem afirmado publicamente que a curitibana não quer aceitar um novo combate contra Nunes por medo. A informação do receio sobre o novo embate contra a ‘Leoa’ é desmentida frequentemente por Cyborg. "Tem que ser pública (a desculpa). É fácil se desculpar quando não têm câmeras em você. Se você sente muito, não venha falar no privado. Vá a público", disparou a ex-campeã das penas.

Após seu último compromisso, no último sábado, Cyborg vestiu uma camisa incitando uma nova disputa contra Amanda para janeiro do próximo ano. No entanto, em sua coletiva, a atleta tratou de afirmar que as negociações não estariam apenas condicionadas à luta entre ela e a compatriota. Haveria, também, de se resolver problemas envolvendo-a, a companhia e, claro, o presidente Dana.

Os próximos meses certamente serão de intensa negociação. Além do mais, a brasileira também terá propostas de outras organizações, como, por exemplo, do Bellator, cujo presidente, inclusive, já declarou publicamente que deseja conversar com a curitibana.

MAIS SOBRE:

MMA [artes marciais mistas]Dana WhiteUFC [Ultimate Fighting Championship]Cris Cyborg
Comentários