Cyborg não descarta uma revanche com Amanda: 'Talvez em outra organização'

Fora do UFC desde julho, brasileira afirma que ainda mantém desejo de encarar compatriota para ‘acerto de contas’

 C. Cyborg próxima de outra organização. Foto: Divulgação / UFCA brasileira Cris Cyborg está próxima de anunciar por onde irá lutar nos próximos anos. Fora do UFC desde que cumpriu sua última luta do contrato, em julho, a atleta afirmou que revelará seu futuro em menos de um mês e voltou a falar sobre Amanda, a quem, segundo a curitibana, ainda deseja enfrentar. As declarações foram feitas recentemente em sua conta oficial no YouTube.

Relacionadas

"Quem sabe?", respondeu Cris sobre a possibilidade de voltar a trocar forças com Nunes. "Talvez se nos encontrássemos em outro lugar. Com certeza, eu quero a luta, mas, se não acontecer agora, acredito que vai acontecer no tempo de Deus", declarou a brasileira.

Um dos fatores que impossibilitou a renovação de contrato entre Cris e o UFC foi sua relação conturbada com o presidente do Ultimate, Dana White. O chefão é acusado pela curitibana de ter tentado manchar sua imagem perante o público, além de ter praticado bullying com a artista marcial no passado, comparando-a ao ex-campeão do extinto 'Pride', Wanderlei Silva, e insinuando que Cyborg teria um pênis.

"Todo mundo sabe que minha relação com o Dana White não era saudável para ninguém. Se tornou pessoal. Quando isso acontece, o melhor é apaziguar e seguir em frente", comentou a lutadora.

Em seu último compromisso, Cyborg enfrentou a ex-campeã do Invicta FC, Felícia Spencer, e saiu vencedora na decisão unânime dos juízes, no combate que representou a luta co-principal do UFC 240. Após a conquista, Dana afirmou que tentaria de tudo para que a curitibana assinasse um contrato para que pudesse promover a revanche entre a atleta e Amanda Nunes, para quem havia perdido seu cinturão em dezembro do ano passado.

As negociações, no entanto, não foram bem-sucedidas e Cris ficou livre para negociar com outra organização. Algumas empresas como o Bellator e o PFL mostraram interesse em contar com a lutadora, mas ainda não houve nada confirmado.

"Eu acho que devo assinar meu novo contrato em menos de 30 dias. Eu vou estar online para contar a todos sobre meu novo lugar, em que Cyborg vai ser bem vinda. Tenho que agradecer a Dana por me mandar uma carta dois dias depois da minha última vitória. Isso, de fato, me ajudou a tomar minha decisão", finalizou a atleta.

Aos 34 anos, Cyborg é considerada uma das atletas femininas mais temidas da história do MMA. Em 23 lutas profissionais, a brasileira saiu vencedora em 20, perdendo duas e apresentando um combate sem resultado.

MAIS SOBRE:

MMA [artes marciais mistas]Cris CyborgAmanda NunesUFC [Ultimate Fighting Championship]
Comentários