Lutador do UFC prova inocência em caso de doping e é liberado pela USADA

Josh Barnett testou positivo para a substância proibida ostarine

 Barnett está liberado para voltar a competir. Foto: Divulgação / Strikeforce

Relacionadas

A batalha foi longa, mas Josh Barnett conseguiu provar sua inocência junto a Agência Antidoping dos EUA (USADA). Em dezembro de 2016, o ex-campeão do UFC testou positivo para a substância proibida ostarine. Mas após uma longa batalha judicial, o lutador comprovou que a alteração no teste aconteceu devido a um suplemento contaminado e ele está livre para voltar a competir.

+ Josh Barnett comprova doping contaminado e está liberado para lutar

+ Vídeo: Lutador se nocauteia, mas vence combate por desqualificação do rival

+ Elizeu Capoeira encara encara Sean Strickland no UFC 224, no Rio

A absolvição foi confirmada pela USADA, entidade responsável pelo controle de doping do UFC, através de um comunicado oficial.

"Devido à fonte (da substância) se dar por meio de um suplemento contaminado, e o atleta ter cuidado em relação aos produtos que consumia, o juiz determinou que apenas uma reprimenda pública era apropriada", dizia o trecho do comunicado.

Apesar da absolvição, Josh Barnett perdeu um longo inativo até o julgamento. O lutador, de 38 anos, não se apresenta desde setembro de 2016, quando finalizou o bielorrusso Andrei Arlovski.

Histórico de doping

Apesar de comprovar sua inocência no teste realizado em 2016, Josh Barnett tem um longo histórico em casos de doping. O lutador já falhou em outras duas oportunidades: em 2002, quando era campeão do UFC, e 2009.

MAIS SOBRE:

LutasUFC [Ultimate Fighting Championship]doping
Comentários