Presidente do COI ameaça excluir boxe das Olimpíadas de Tóquio

Entidade que organiza o boxe olímpico passa por problemas administrativos

Relacionadas

Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional, subiu o tom contra a AIBA, organização que controla o boxe olímpico mundial. Em entrevista coletiva na Coreia do Sul, o dirigente se disse preocupado com o boxe e que poderia tomar decisões drásticas caso a AIBA não resolva seus problemas financeiros e administrativos.

"O COI reserva-se o direito de rever a inclusão do boxe nos programas dos Jogos Olímpicos da Juventude de 2018 e da Olimpíada de Tóquio em 2020", afirmou ele aos repórteres, acrescentando que o COI congelaria todos os contatos com a AIBA, de modo a "implementar as respectivas decisões do COI".

+ UFC Belém: Lyoto vence Anders em decisão apertada e espanta má fase

+ Para Cris Cyborg, Ronda Rousey ainda não superou derrotas no UFC

+ Ultimate reserva 12 de maio para o UFC 224, no Rio de Janeiro

A AIBA sofreu com diversos problemas internos durante meses, com o ex-presidente CK Wu primeiro sendo suspenso provisoriamente e depois deixando o cargo em novembro do ano passado após uma amarga disputa com seu comitê executivo.

Em nota, a AIBA lamentou  a decisão do COI, considerando-a "extremamente decepcionante" depois que a entidade do boxe apresentou um relatório de progresso conforme solicitado.

Após uma reunião de dois dias de duração do conselho executivo em Pyeongcang, Bach disse que o COI não estava satisfeito com o relatório preparado pela AIBA e que seria obrigado a abrir uma investigação a respeito da entidade.

MAIS SOBRE:

BoxeCOI [Comitê Olímpico Internacional]Olimpíada
Comentários