Recuperado, Johnny Walker quer retorno em dezembro: 'Estou pronto'

Meio-pesado acredita que duas vitórias o colocariam na condição de possível desafiante ao cinturão

 J. Walker jacredita que está a duas lutas da disputa do título. Foto: Reprodução/Instagram @johnnywalkerufc

Relacionadas

A avalanche de críticas após a derrota para Corey Anderson no último sábado (2), pelo UFC 244, parece não ter abalado Johnny Walker. O brasileiro afirmou que compreendeu seus erros e já está pronto para retornar ao octógono. O combatente sugeriu que pode retornar à ativa em dezembro ou logo no início de 2020 e sugeriu um embate contra Maurício Shogun. A declaração foi feita em entrevista ao site MMA Fighting.

"Quero lutar o mais rápido possível. Eu quero lutar em dezembro, janeiro ou fevereiro. Estou pronto. Não estou lesionado. Vou voltar para a academia e treinar para bater o próximo adversário, confiando em mim e na minha estratégia um pouco mais", contou o meio-pesado.

Mais calmo após o revés para Anderson, Walker tentou explicar o que deu errado no confronto contra o norte-americano, que o aplicou um nocaute devastador logo nos minutos iniciais do de um dos duelos mais aguardados e assistidos da noite. Para o combatente de Belford Roxo, o erro foi não ter seguido sua estratégia que vinha dando certo desde sua estreia como profissional Ultimate, em novembro do ano passado.

"Eu sei que foi um erro meu. Eu hesitei demais. Eu deveria ter sido mais agressivo, mas não fui. Tinha muita gente falando das quedas dele, então, eu esperei para que ele tentasse me derrubar e acabei não deixando meu jogo fluir. Eu deveria ter me ouvido. Foi o plano errado. Eu escutei todo mundo, menos eu. Esse foi meu erro e me arrependo disso", desabafou Walker.

Para voltar a atuar, Walker pretende se manter inserido nos bastidores das artes marciais mistas. O atleta já confirmou presença na plateia do UFC São Paulo. O combatente pode ter dois adversários específicos como próximos oponentes se apresentando no card da capital paulista: Maurício Shogun ou Paul Craig, que trocam forças no duelo co-principal da noite.

"Eu vou estar lá (em São Paulo) para assistir como convidado. Eu sei que duas lutas me colocarão onde eu estava antes. Então, não estou tão fora dos trilhos. Vou voltar logo. Foi um aprendizado. Nunca mais vou hesitar em uma luta, irmão. Nunca", finalizou o atleta.

O revés para Corey marcou o quarto da carreira do brasileiro, que, hoje, soma 17 vitórias.

MAIS SOBRE:

MMA [artes marciais mistas]UFC [Ultimate Fighting Championship]Johnny Walker
Comentários