Sem grana, lutador do UFC chegou a ser motorista de Uber para pagar contas

Por derrota e lesões, Cezar Mutante ficou nove meses afastado do torneio

Relacionadas

Depois de dois nocautes no primeiro round seguidos, Cezar Mutante sofreu com lesões e ficou nove meses longe do UFC. Em entrevista ao Combate, publicada nesta quinta-feira, o lutador revela que teve problemas financeiros neste período afastado e que chegou até a ser motorista de Uber. 

"Sofri duas derrotas e a grana baixou. Estava só gastando, porque vinha de um ano de lesão. Quando perdi para o Jorge Masvidal, ano passado, pedi um tempo ao UFC até que eu ficasse 100%. Foi uma época dura, sem grana. Tive que começar a dar aula... Não dava para pedir patrocínio, porque eu estava sem moral. No fim do ano, todo mundo viaja e eu fui trabalhar como motorista do Uber para ganhar um dinheiro. Nunca falei isso para ninguém", conta o campeão da primeira temporada do The Ultimate Fighter Brasil (TUF). 

"Muitos passageiros me reconheciam no Uber. Fiz amarradão. Quando casei com a minha esposa, eu não ganhava muito lutando no Brasil, então trabalhava como segurança, treinava na hora do almoço. Eu trabalhava em um forró para ganhar 30 reais por noite. No fim, catava as latas para ganhar mais 15 reais. Eu sempre corri atrás", completa. 

Devido a uma lesão, Mutante chegou a colocar oito pinos na coluna. A paciência valeu a pena, já que ele ainda não perdeu em 2016, com duas lutas vencidas por decisão unânime. No próximo dia 19, ele lutará no UFC Fight Night, no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo, contra Jack Hermansson, em luta do card preliminar válida pelos médios.  

MAIS SOBRE:

lutasufcmmacezar mutanteUber
Comentários