UFC: ex-mulher acusa lutador que está no card do Rio de violência doméstica

BJ Penn, ex-campeão dos leves e meio-médios, responde processo no Hawai

 Penn é acusado de violência doméstica. Foto: Facebook @ufc

Relacionadas

A fase de BJ Penn no octógono não é boa. O havaiano, ex-campeão dos leves (até 70,3 kg.) e meio-médios (até 77,1 kg.), não vence no UFC desde 2010. Porém, o lutador tem um problema ainda maior fora da área de lutas: ele é acusado por sua ex-mulher de violência doméstica.

Shealen Uaiwa registrou ocorrência contra Penn no estado do Hawaí, nos Estados Unidos, alegando que foi abusada fisicamente e verbalmente durante 10 anos de relacionamento. Ela conseguiu, inclusive, uma medida de proteção que impede o atleta de se aproximar da ex-companheira até 2021.

"Sinto medo pela minha segurança, da vida de meus filhos e pela influência que ele exerce sobre eles", anotou Uaiwa no relatório policial, divulgado pelo site MMA Junkie. A ex-mulher ainda relatou uma das vezes em que Penn a ameaçou juntamente com sua mãe e filhos.

"Ele veio até o carro ameaçando a minha mãe, dizendo que iria chutá-la... Ele estava nos atacando com insultos verbais, nos chamando de ladras e manipuladoras. Eu estava tentando sair da garagem e ele não deixava, como quem fosse nos atacar pela janela. Meus filhos testemunharam esse incidente", disse.

Shealen Uaiwa ainda acusou o lutador de ser viciado em cocaína e só deixou a aposentadoria, em 2017, para tentar se livrar do vício. O UFC ainda não se pronunciou sobre o caso.

Luta marcada no Rio

Apesar do incidente, BJ Penn continua com luta marcada. Ele tenta se recuperar da série de seis derrotas em série diante de Clay Guida no UFC 237, evento que acontece dia 11 de maio, no Rio de Janeiro.

MAIS SOBRE:

MMA [artes marciais mistas]UFC [Ultimate Fighting Championship]Rio de Janeiro [cidade RJ]violência doméstica
Comentários