Após briga, Rodrigues estreia com vitória e comenta confusão com havaiano

Brasileiro espera a disputa das repescagens para definir o seu adversário na terceira fase

Relacionadas

Na última quarta-feira, uma briga entre o brasileiro Michael Rodrigues e o havaiano Tanner Hendrickson repercutiu nas redes sociais antes mesmo da última etapa do Mundial de surfe começar. Pelo Instagram, Rodrigues comentou sobre o ocorrido após estrear com uma vitória na competição.

O surfista que espera a disputa das repescagens, que podem acontecer nesta sexta-feira, para definir o seu adversário na terceira fase, tranquilizou seus fãs e disse estar pensando somente no Pipe Masters.

"Diante da repercussão da agressão que sofri aqui no Havaí, gostaria de dizer que estou bem, focado unicamente na competição aqui em Pipeline, e na minha carreira como surfista profissional", afirmou. Depois, o brasileiro aproveitou para recriminar a atitude do havaiano que foi punido pela Liga Mundial de surfe (WSL) ao ser suspenso da competição.

"Repudio todo e qualquer ato de violência contra mim, ou contra qualquer outro ser vivo. Nada justifica a agressão que recebi, por isso, me sinto na obrigação de tomar todas as providências cabíveis para que fatos lamentáveis como este não se repitam, comigo, ou contra qualquer outro atleta e/ou pessoa", escreve.

Rodrigues também elogiou a postura da WSL, que excluiu provisoriamente Hendrickson de todas as competições até que a investigação seja concluída. "A WSL já demonstrou que o surfe, como esporte de alto nível que é, não tolera mais este tipo de comportamento", analisou.

Michael ocupa a 14ª posição do ranking e é um dos estreantes do Brasil na elite do surfe que têm se destacado na temporada. "Espero que esse fato não manche negativamente o surfe, e muito menos minha carreira. Sou surfista, atleta. Abraço a todos, e obrigado pelo apoio", concluiu. 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Diante da repercussão da agressão que sofri aqui no Hawaii, gostaria de dizer que estou bem, focado unicamente na competição aqui em Pipeline, e na minha carreira como surfista profissional. No mais, repudio todo e qualquer ato de violência contra mim, ou contra qualquer outro ser vivo.  Nada justifica a agressão que recebi, por isso, me sinto na obrigação de tomar todas as providências cabíveis para que fatos lamentáveis como este não se repitam, comigo, ou contra qualquer outro atleta e/ou pessoa. Por fim, a WSL já demonstrou que o surfe, como esporte de alto nível que é, não tolera mais este tipo de comportamento.  Espero que esse fato não manche negativamente o surfe, e muito menos minha carreira. Sou surfista, atleta! Abraço a todos, e obrigado pelo apoio. ✌

Uma publicação compartilhada por M Rod (@michaelrodrigues85) em

 

MAIS SOBRE:

SurfeMichael RodriguesTanner HendricksonsurfeHavaíCircuito Mundial de Surfe
Comentários