Serena comenta polêmicas e dificuldades: 'fui chamada por todos os nomes'

Norte-americana disputa a semifinal de Wimbledon nesta quinta-feira

Relacionadas

Heptacampeã de Wimbledon, Serena Williams avançou às semifinais do Grand Slam inglês e vai encarar a checa Barbora Strycova nesta quinta-feira. Mas não é só por mais uma vitória que a veterana norte-americana de 37 anos estampa os jornais nesta quarta, mas pela entrevista sincera que deu à revista Harper's Bazaar.

Para a publicação, Serena comentou sobre temas polêmicos como a confusão que protagonizou em setembro de 2018, quando recebeu três punições e foi superada pela japonesa Naomi Osaka na decisão do US Open, além de fazer uma análise sobre todas as dificuldades que passou para chegar onde chegou.

"Eu fui chamada por todos os nomes. Eu senti vergonha por conta do meu corpo. Eu fui paga de modo desigual por ser mulher. Eu fui penalizada em um jogo de final de Grand Slam porque expressei minha opinião ou resmunguei muito alto... e essa são as únicas coisas que o público vê. Em resumo, nunca foi fácil. Mas quando penso na próxima garota que virá, e que essa garota parece comigo, então eu tenho a esperança que talvez, possivelmente, minha voz irá ajudá-la", disse. 

Depois de receber instruções de seu técnico, a tenista recebeu uma advertência. A americana negou e se irritou, chegando a quebrar a raquete ao perder um de seus serviços. Serena chegou a discutir com o árbitro Carlos Ramos, o que levou o supervisor do torneio entrar em quadra. Aos prantos, Serena se dizia injustiçada pelo ocorrido e não conseguiu reagir. 

"Isso arruinou algo que deveria ter sido surpreendente e histórico", afirmou Serena. "Não foi apenas um jogo tirado de mim, mas um que definiu um momento triunfante e que foi tirado de outra jogadora", analisou a tenista que acusou o árbitro de sexismo e foi muito criticada pelo "ataque de fúria" e "falta de profissionalismo" por veículos da mídia.

Serena conta que dias depois ela ainda não tinha encontrado paz, mesmo tentando comparar com outras derrotas que sofreu na vida, e então resolveu fazer terapia. Outro fato que a ajudou a voltar a jogar e se tranquilizar depois do ocorrido foi ter pedido desculpas para Naomi. Na época, a adversária tinha apenas 20 anos e ficou constrangida com a situação.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

“I’ve been called every name in the book. I’ve been shamed because of my body shape. I’ve been paid unequally because of my sex. I’ve been penalized a game in the final of a Major because I expressed my opinion or grunted too loudly...And these are only the things that are seen by the public. In short, it’s never been easy. But then I think of the next girl who is going to come along who looks like me, and I hope, ‘Maybe, just maybe, my voice will help her.’” @SerenaWilliams goes unretouched on our August 2019 issue and gets candid in a personal essay on BAZAAR.com. Link in bio Photography by @alexilubomirski Styling by @menamorado Hair by @vernonfrancois Makeup by @tyronmachhausen #SerenaWilliams wears @ralphlauren, @bulgariofficial and @louboutinworld

Uma publicação compartilhada por Harper's BAZAAR (@harpersbazaarus) em

MAIS SOBRE:

tênisGrand SlamTorneio de Wimbledon [tênis]Serena WilliamsNaomi Osaka
Comentários