Serena Williams se incomoda com pergunta machista sobre Sharapova

Jornalista se viu na necessidade de pedir desculpas via rede social

Relacionadas

Um repórter especialista em tênis afirma que esperou 14 anos para conseguir fazer uma pergunta a Serena Williams. No entanto, a resposta dada pela atleta deixou claro que para  Bill Simons que ela não gostou da abordagem machista feita pelo jornalista da revista Inside Tennis

Mauricio de Souza lança histórias em quadrinhos de Neymar na França

Repórter afirma: 'LeBron se reunirá com o Golden State neste verão'

Jornal português garante que Cristiano Ronaldo sairá do Real Madrid

Na última segunda-feira, a tenista concedeu entrevista após anunciar sua desistência do duelo mais mais aguardado de Roland Garros: a partida com a russa Maria Sharapova. Isso porque Serena teve uma lesão muscular durante sua participação na chave de duplas. 

Foi exatamente sobre a russa a pergunta que incomodou a atleta norte-americana. “Depois do jogo de 2004 contra Maria Sharapova, eu tive a oportunidade de entrevistar Donald Trump, em Los Angeles, e ele me disse que os ombros da Maria eram incrivelmente sedutores. Depois ele me disse que você foi intimidada pela beleza de uma supermodelo”, começou o jornalista.

E logo perguntou: “Alguma vez você se viu intimidada por alguém em uma quadra de tênis? E quais são os seus pensamentos sobre isso?” A resposta de Serena foi categórica: “Honestamente, não tenho o que dizer sobre isso. Nunca me senti intimidada por ninguém".

O desconforno, no entanto, começou quando Simons usou a palavra "baby" (bebê, em português) para se referir a ela. “Estamos juntos nessa, bebê”, afirmou o repórter. “Não, não estamos. Depois daqui, você não vai para casa lidar com um bebê chorando”, respondeu Serena, referindo-se à sua filha que nasceu no ano passado.

O marido da tenista e pai da criança, Alexis Ohanian, usou seu Twitter para criticar a atitude do repórter. “Esperou 14 anos... Para isso? Dica: espere pelo menos outros 14 anos antes de fazer uma pergunta de novo”, escreveu.

“Eu peço desculpa se minha pergunta constrangedora pareceu empoderar Trump ou atacar Serena. Eu a admiro muito e passei a vida toda lutando contra racismo, machismo e homofobia”, publicou Bill Simons na mesma rede social. 

MAIS SOBRE:

Tênis Serena Williams Roland Garros [tênis] Maria Sharapova Donald Trump machismo
Comentários