Barrichello diz que passou mal após deixar Schumacher passar na Áustria

Por ordem da Ferrari, brasileiro precisou abrir passagem para o alemão na última volta do GP da Áustria de 2002

Relacionadas

Um dos momentos mais marcantes e tristes da carreira de Rubinho Barrichello aconteceu no GP da Áustria de 2002, quando o brasileiro deixou Michael Schumacher lhe passar na última volta por ordens da Ferrari. O piloto brasileiro relembrou o momento durante entrevista ao programa O Grande Círculo, do SporTV.

A ocasião também se tornou memorável pela narração de Cléber Machado, com 'hoje não, hoje não, hoje sim' se tornando um bordão do locutor. Rubinho também comentou sobre isso ao falar da ultrapassagem.

"Vendo a corrida você nota que o Cleber estava indignado, como a maioria dos brasileiros ficou. Logo que saí do pódio, passei mal. Eu tinha de ligar para o meu pai e falar por que fiz aquilo. No ano anterior, também na Áustria, deixei passar de segundo para terceiro", contou Barrichello.

"Desci indignado do carro e fui direto perguntar o que aconteceria se fosse para ceder o primeiro lugar. Foi falado que neste caso nunca aconteceria, e aquilo ficou registrado na minha cabeça. Quando me chamaram no rádio dizendo que era hora de deixar o Michael passar, eu perguntei: 'Mas o Schumacher sabe disso?'. E ouvi que a decisão não era dele", relatou o piloto.

"O Schumacher andou mais vezes na minha frente do que eu na dele, mas até então nunca ninguém tinha chegado tão perto dele", afirmou Rubinho, que até hoje detém o recorde de piloto com mais grandes prêmios disputados na categoria (322) e foi duas vezes vice-campeão mundial.

MAIS SOBRE:

Fórmula 1Rubens BarrichelloMichael SchumacherFerrari
Comentários