#FeranoSertões #3 - De uma paixão inesperada a um 'dia histórico' no interior

O rali como um todo é muito legal, mas os UTVs 'mexeram com meu coração'

Relacionadas

Fim de mais um dia de Rally dos Sertões. E foi mais um dia de muita emoção pelo interior de Goiás. Tudo começou bem cedo. Por volta de 5 horas da manhã, Kilka, diretor de provas entre as motos, já me esperava na recepção do hotel em Goianésia para irmos para o ponto de largada da segunda etapa cronometrada do Rally dos Sertões, com destino em Santa Terezinha de Goiás. No caminho de cerca de 70 km até a largada, muita terra, poeira e até mesmo um trecho de balsa. Acho que isso serviu para me colocar de vez no clima de um rali.

Chegando no local da largada, acompanhamos a partida das motos, quadriciclos e UTVs e tenho que confessar que estou apaixonado por essa categoria. Os veículos lembram um buggy, mas são totalmente abertos, sem sequer um vidro na frente, deixando os pilotos sujeitos à chuva, sol, poeira e até mesmo pedras que podem surgir no caminho, situação semelhante à vivida pelos motociclistas. Eu, que sempre gostei de velocidade, confesso que fiquei morrendo de vontade de pilotar um desses.

Depois de todos os veículos largarem, pegamos a estrada novamente rumo à Santa Terezinha de Goiás, local da chegada. No meio do caminho, Kilka foi compartilhando comigo alguns causos que já viveu em 20 anos trabalhando em ralis. Um dos assuntos tratados foi o risco de animais atravessarem a pista enquanto competidores estão passando. Porém, nem imaginávamos que Gregorio Caselani, líder entre as motos, passaria por isso logo no dia em que comentamos sobre o assunto. O cara se chocou com nada menos do que uma vaca e, apesar de alguns estragos na moto, podemos dizer que teve sorte, já que ficou apenas com ferimentos leves.

Logo na chegada à pequena cidade no norte de Goiás, já dava para perceber que o clima era de festa por causa do rali, com faixas de boas-vindas espalhadas pelas ruas e o público olhando atentamente e aplaudindo a cada competidor que passava. Tudo isso ficou ainda mais evidente na conversa que tive com o prefeito local, Marcos Cabral, que considerou a segunda-feira um "dia histórico" para a cidade, contratando até mesmo uma banda para fazer um show para entreter e agradecer a "caravana do Sertões".

Eu, que não sou bobo nem nada, já estou me preparando para esse showzão que será uma despedida de Santa Terezinha de Goiás, já que logo pela manhã partimos para Aruanã, último destino goiano do Rally dos Sertões 2017.

MAIS SOBRE:

VelocidadeGoianésia [GO]Santa Terezinha de Goiás [GO]Aruanã [GO]RaliRali dos SertõesAutomobilismo
Comentários