Hamilton posta sobre queimadas e é acusado de fake news por Lucas di Grassi

Piloto brasileiro da Fórmula E discorda de dados apresentados pelo inglês no Instagram

Relacionadas

As queimadas na Amazônia se tornaram um assunto mundial, e algumas celebridades comentaram a situação, lamentando. No esporte, quem foi mais rápido para falar sobre a situação foi Lewis Hamilton. No entanto, o pentacampeão mundial foi acusado de espalhar fake news pelo brasileiro Lucas di Grassi, que já correu na Fórmula 1 e hoje está na Fórmula E.

"É devastador ver nosso mundo sofrer. A Floresta Amazônica está queimando em uma taxa recorde e houve um aumento de 80 no número de incêndios neste ano comparados com o último. Os cientistas se referem à Amazônia como o pulmão do mundo porque ela produz 20% do oxigênio que respiramos. Mais de um campo de futebol está sendo destruído a cada minuto, o mundo precisa se unir e ajudar. Se você ainda não fez isso, por favor, poste sobre isso, é viral que continuemos a espalhar a ação. ONU, se há algo que posso fazer, estou pronto para ajudar da maneira que for", escreveu o piloto inglês.

Na sequência, Di Grassi respondeu para o colega. "A floresta amazônica está queimando na mesma média dos últimos quinze anos, segundo os dados, durante a estação seca. Temos que lutar contra isso? Sim. Mas pare de espalhar fake news e criar caos sem saber os fatos", afirmou o competidor da Fórmula E, em inglês. No Twitter, ele explicou o ponto de vista sobre a situação em um vídeo.

Segundo dados do Programa Queimadas, do Inpe, o número de incêndios na Amazônia é 60% maior do que a média dos últimos três anos. Isso pode ser explicado em parte pela seca prolongada deste ano, mas também pelo aumento no desmatamento, diz uma análise técnica feita pelo Instituto de Pesquisas Ambiental da Amazônia (Ipam).

MAIS SOBRE:

Lewis HamiltonLucas Di GrassiFloresta Amazônicaincêndio florestalautomobilismo
Comentários