Lewis Hamilton classifica touradas como 'nojentas' e Ministro rebate

Vegano desde 2017, o hexacampeão da Fórmula 1 pediu o fechamento de escolas de touradas 

Relacionadas

Lewis Hamilton utilizou suas redes sociais para criticar as tradicionais touradas espanholas. De acordo com o hexacampeão da Fórmula 1, que se autodeclarou uma amante dos animais, a prática é nojenta e se equivale a um tipo de tortura, que, no caso, se mascara de cultura.

“É realmente nojento, Espanha! As crianças espanholas são ensinadas a torturar e matar touros a partir dos 14 anos. Estamos pedindo ao Ministério da Educação da Espanha, que feche imediatamente as escolas de touradas”, disse Hamilton.

Segundo o piloto da Mercedes, a Organização das Nações Unidas (ONU), declarou que as touradas violam a Convenção dos Direitos da Criança, já que fazem com que os jovens pratiquem atos violentos.

Ainda em suas redes sociais, Hamilton pede para que seus seguidores assinem uma petição, criada pelas Pessoas pelo Tratamento Ético dos Animais (Peta). A iorganização internacional clama pelo fim das escolas de touradas na Espanha.

Essa não é a primeira vez que o campeão da F-1 se manifesta em relação a pautas de defesa dos animais. Neste ano, Hamilton celebrou a proibição do consumo de carnes de cachorros e gatos na cidade de Shezhen, na China. O piloto é vegano, desde 2017.

Em resposta, o Ministro da Cultura da Espanha, José Manuel Rodríguez Uribes, lamentou o que foi dito por Hamilton e classificou suas palavras como ofensivas.

"São palavras ofensivas e atacam as pessoas que têm uma paixão e um sentimento positivo por uma prática que no nosso país é considerado cultural", disse o ministro, à RNE. 

MAIS SOBRE:

Comentários