Médicos participam de simulação virtual realística no GP do Brasil

Profissionais contam com a ajuda do 'Body Interact', equipamento que fornece avaliação geral do corpo do paciente.

Relacionadas

Médicos e socorristas que estão atuando no GP do Brasil de Fórmula 1, entre os dias 15 e 17 de novembro, passaram por um programa de treinamento baseado em simulação virtual realística nesta sexta-feira. Para o procedimento, eles contaram com a ajuda do "Body Interact", equipamento que fornece avaliação geral do corpo do paciente.

O equipamento tem como base as Diretrizes Internacionais de Cirurgia de Trauma mais atualizadas. Em apenas uma tela, o médico recebe dados dos cenários mais comuns de trauma e avaliar com antecedência um paciente em situação de emergência.

Todos os profissionais presentes no autódromo de Interlagos participaram do treinamento. "Eles serão liderados pelo Dr. Dino Altmann, diretor médico do Leforte no GP Brasil e vice-presidente da Comissão Médica da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) e Dr. Antônio Marttos, cirurgião de trauma do Ryder Trauma Center do Jackson Memorial Hospital, da Miami University, centro responsável pelo treinamento da equipe do exército americano", afirma o grupo Leforte.

Localizado na curva do Pinheirinho, o centro médico é composto por dois leitos de UTI, três leitos de emergência, farmácia, banco de sangue, laboratório de análises clínicas e equipamentos para exames de imagem. A estrutura ainda possui um posto de atendimento ambulatorial e uma clínica oftalmológica, além de suporte para ambulâncias e um helicóptero especializado.

MAIS SOBRE:

automobilismoFórmula 1GP Brasil [Fórmula 1]
Comentários