'Mick Schumacher me fez lembrar de seu pai', diz Ross Brawn, diretor da Fórmula 1

No entanto, ex-engenheiro do heptacampeão recomenda cautela ao jovem na hora de ir para a categoria principal

Relacionadas

Ross Brawn trabalhou por diversos anos com Michael Schumacher, na Benetton e na Ferrari, e hoje é diretor esportivo da Fórmula 1. Por isso, se emocionou ao ver a primeira vitória de Mick Schumacher, filho do heptacampeão, vencer sua primeira corrida na Fórmula 2, o que aconteceu em Hungaroring, na Hungria, no último domingo, 4 de agosto.

"Eu não estava na pista, mas foi um momento emocionante vê-lo erguer os braços no céu, e não posso negar que isso me fez lembrar de seu pai Michael. Ele teve de lutar pela vitória sem cometer erros e esteve a corrida toda pressionado por Nobuharu Matsushita. A vitória veio depois de um período de falta de sorte, e isso lhe dará mais confiança", afirmou o ex-engenheiro.

Ainda assim, Brawn mantém a cautela sobre a ida de Mick para a Fórmula 1, aconselhando-o a dar um passo de cada vez. "Os esforços do Schumacher mais jovem têm capturado a imaginação de toda a mídia do mundo, e isso só mostra o quão o nome Schumacher ainda significa e quanta atenção pode gerar. A Mick precisa ser permitido progredir calmamente para vermos onde ele fica neste mundo competitivo de jovens", declarou.

Um dos mais jovens na atual temporada da Fórmula 2, Mick é o 11º colocado na classificação do torneio, com 45 pontos - o líder é o holandês Nick de Vries, com 196 (o brasileiro Sergio Sette Camara é o terceiro com 143). Enquanto isso, Michael, se recupera após sofrer um acidente enquanto esquiava em 2013 - a família mantém sigilo total sobre o estado de saúde do heptacampeão.

MAIS SOBRE:

Fórmula 1Mick SchumacherMichael SchumacherautomobilismoRoss Brawn
Comentários