Relembre: Há 35 anos, Ayrton Senna estreava na Fórmula 1 em GP do Brasil

Piloto quase não largou por vazamento de combustível no cockpit e foi elogiado mesmo após abandonar no início

Relacionadas

Em 25 de março de 1984, a torcida brasileira no autódromo de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, se animava para ver a primeira corrida daquela temporada da Fórmula 1. Atual campeão, Nelson Piquet era a estrela brasileira na ocasião, mas havia outro brasileiro no grid: o jovem Ayrton Senna, então com 24 anos.

Após ser campeão da Fórmula 3 britânica em 1983, Senna foi contratado pela Toleman como aposta. Na estreia, foi discreto: largou na 17ª posição e abandonou na oitava volta, devido a problemas no motor. Apesar disso, Senna foi elogiado pela imprensa especializada, pois teria mostrado qualidades e poderia ir bem quando estivesse em um bom carro. Emerson Fittipaldi também gostou da estreia de Senna e previu que o jovem piloto daria muitas alegrias aos brasileiros.

Senna teve problemas antes da largada: na volta de apresentação, uma válvula se soltou e gasolina vazou para dentro do cockpit. O início da corrida foi atrasado e os mecânicos da Toleman conseguiram resolver o problema, fechando a válvula e tentando secar o assento com papel absorvente.

A corrida foi vencida por um dos que viria a ser grande rival de Senna (: Alain Prost foi vitorioso, com Keke Rosberg e Elio de Angelis completando o pódio. Piquet, assim como Senna, abandonou por problemas mecânicos.

Ali foi o ponto de partida para uma carreira relativamente curta, mas incrivelmente vitoriosa e marcada nas mentes dos brasileiros.. A primeira vitória em uma corrida aconteceu no GP de Portugal em 1985, já pela Lotus; a primeira vitória no Brasil veio em 1991, numa corrida disputada em Interlagos. No total, Senna venceu 41 corridas, subiu ao pódio 80 vezes e foi tricampeão, com os títulos das temporadas de 1988, 1990 e 1991.

Pouco mais de dez anos após estrear, a carreira de Senna acabou de forma trágica, com a morte do piloto brasileiro após bater na curva Tamburello, do GP de San Marino em 1994.

MAIS SOBRE:

Fórmula 1Ayrton SennaGP Brasil [Fórmula 1]
Comentários