Primeira jogadora trans na Espanha afasta comparações com Tifanny

Omaira Perdomo aponta grandes diferenças com a atleta brasileira

Relacionadas

A história de Omaira Perdomo, primeira jogadora de vôlei transexual a participar de uma partida na Espanha, relembra os fãs do esporte sobre a trajetória de Tifanny Abreu no Brasil. Ambas as atletas quebraram barreiras na modalidade.

Porém, apesar das comparações, Perdomo aponta grandes diferenças e afirma que prefere comentar sobre a sua história. "Não conheço muito a história da Tifanny. Sei quem é, vi várias partidas por curiosidade, mas não me sinto representada por ela", conta em entrevista ao globoesporte.com.

"Creio que somos pessoas completamente diferentes. Ainda que sejamos transexuais, eu levei a minha vida toda nesta situação. Mas foco na minha vida, não sou de olhar outros tipos de situações parecidas à minha. Ainda que vão comparar a minha vida com a dela", ressalta Perdomo. "Não sei nada do processo da Tifanny nem de sua vida. Apenas que joga na liga brasileira e que foi a primeira trans a conseguir. Dou meus parabéns e espero que siga somando êxitos."

Ao contrário de Tifanny, que já jogou profissionalmente entre os homens, Perdomo começou a fazer tratamento hormonal a partir dos 10 anos de idade. A atleta iniciou a carreira no vôlei ainda na escola e conta que jogou com meninos por falta de opção. "Tive a mentalidade de não abandonar o que eu gosto de fazer. E o vôlei era a minha paixão. Então, joguei com os meninos por cinco anos", revela.

Após a fase da escola e um ano sem praticar esportes, a atleta foi contratada pelo CV CCO 7 Palmas, clube que disputa a Superliga da Espanha. Perdomo treinou na equipe Juvenil e fez sua estreia na equipe profissional em fevereiro deste ano. Agora, ela espera o inicio da competição, marcada para outubro. 

Perdomo também conta que foi bem recebida pela equipe e fala sobre o desejo de garantir bons resultados em quadra. "O clima na equipe está muito bom. São muito profissionais, trabalham para jogar e ganhar, assim como eu faço. Mas esta é a minha primeira temporada e tampouco tive a oportunidade de conhecer bem as minhas companheiras. E ainda faltam chegar várias delas. O ambiente é calmo, mas também tenho que mentalizar que não vou lá fazer amigas, e sim jogar o melhor possível para ajudar a minha equipe na competição", declara.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Feeeeelings

Uma publicação compartilhada por O M Y P E R D O M O (@omyperdomo) em

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Ya viene os esperamos del 1 al 5 de mayo aquí en casa vamos chicas #campeonatodeespaña2018

Uma publicação compartilhada por O M Y P E R D O M O (@omyperdomo) em

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Shine like a

Uma publicação compartilhada por O M Y P E R D O M O (@omyperdomo) em

 

MAIS SOBRE:

VôleiBrasil [América do Sul]Espanha [Europa]Tifanny Abreu
Comentários