Maior torcida organizada do Palmeiras decide banir grito homofóbico

Grito de 'bicha' deve ser extinto em jogos no estádio do clube paulista

Relacionadas

O grito de "bicha" utilizado frequentemente para insultar os goleiros adversários estão com os dias contados no Allianz Parque. Isso porque a maior organizada do Palmeiras decidiu banir a atitude entre seus integrantes, segundo informou a ESPN nesta segunda-feira. A medida já foi colocada em prática nos três últimos jogos do time no estádio, contra o Vasco, o Inter e o Atlético Tucumán, este último pela Libertadores.

A decisão da Mancha Alviverde começou a ganhar força no fim do ano passado e teve como defensores alguns coletivos de palmeirenses que lutam contra a homofobia e a discriminação. A organizada não consegue controlar todo o estádio, mas pode repreender quem gritar perto do setor onde fica localizada. Se a promessa for comprida, a torcida palmeirense será a segunda a adotar medida contra a homofobia. Recentemente, a Banda Alma Celeste, do Paysandu, decidiu banir das arquibancadas um canto que já era tradicional e chamava o mascote Leão, do rival Remo de "gay". 

Vale lembrar também que a CBF já foi multada três vezes pelos gritos de "bicha" vindos da torcida brasileira. A última punição foi no jogo contra o Paraguai pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo. A entidade teve que desembolsar 35 mil francos suíços (cerca de R$ 111 mil). 

 

MAIS SOBRE:

futebol Palmeiras Paysandu Esporte Clube
Comentários