Cyborg frustra organização e recusa enfrentar Amanda Nunes no UFC Rio

Cyborg, que fez duas lutas no intervalo de dois meses, pretende tirar alguns dias de férias e só deve voltar a lutar em julho, no UFC 226

Relacionadas

Apesar do desejo de Dana White, Cris Cyborg não deve enfrentar Amanda Nunes no UFC 224, no Rio de Janeiro. O presidente do Ultimate revelou que o evento tinha o interesse em sacar Raquel Pennington e escalar a paranaense contra a baiana na superluta de campeãs na capital fluminense, no dia 12 de maio. Mas Cris reafirmou o desejo de voltar a lutar somente em julho, no UFC 226.

+ Edson Barboza afirma que sonho de se tornar campeão continua vivo

+ Rival de Cyborg reclama de machismo: 'Eles acham que temos que ficar em casa'

+ Cris Cyborg garante que finalizaria Floyd Mayweather nas regras do MMA

Cyborg, que lutou no UFC 219, dia 30 de dezembro, e voltou na edição 222, neste sábado (03), afirmou que não tem planos de voltar a lutar o primeiro semestre de 2018. Ela revelou, que embora tenha vencido Kunitskaya de forma rápida, quer tirar alguns dias de férias para resolver assuntos pessoais no Brasil.

“Ele (Dana White) tem que falar com meu empresário, mas acredito que em maio eu não vou lutar (risos). Tenho coisas no Brasil para resolver. Mas antes de casar essa luta (no UFC 222, contra Yana)] eu já tinha falado que lutaria em julho”, afirmou Cyborg, que pretende tratar de um processo de adoção de sua sobrinha no Brasil.

Com a recusa inicial de Cyborg, ao que tudo indica, a luta principal do UFC 224, evento que acontece dia 12 de maio, no Rio de Janeiro, deve ser a defesa de cinturão de Amanda Nunes contra a norte-americana Raquel Pennington.

MAIS SOBRE:

lutas Cris Cyborg UFC [Ultimate Fighting Championship] MMA [artes marciais mistas]
Comentários